sbce.med.br sbce.med.br sbce.med.br



HOME > artigo

APROVADA NOVA MEDICAÇÃO CONTRA ENXAQUECA

PUBLICADO EM 29/03/2019

Arão Belitardo

Fisiologista do Exercício pela USP, especialista em exercício clínico pelo ACSM, e Doutor em Neurologia e Neurociências pela UNIFESP

Paulo Faro

Neurologista, Chefe do Setor de Cefaleia e Dor Orofacial do Instituto de Neurologia de Curitiba, Membro diretor da Sociedade Brasileira de Cefaleia

Figura: Alvos dos anticorpos monoclonais contra o CGRP na enxaqueca.

Fonte: Gray A. Migraine: the CGRP story. Disponível em: https://www.pharmaceutical-journal.com/acute-pain/targeting-the-cgrp-protein-could-lead-to-a-preventative-treatment-for-migraine/20201917.article?firstPass=false.

 

Foi aprovada pela Agência de Vigilância Sanitária no dia 25/03/19 a primeira medicação especifica para o tratamento preventivo da enxaqueca, produzida pela Novartis. Com o nome comercial PASURTA, consiste na classe de medicamentos com anticorpos monoclonais, que nesse caso que agem inativando os receptores do neuropeptídeo vasoativo inflamatório CGRP (Da sigla do nome inglês: calcitonin-gene related peptide), que é produzido exageradamente nos vasos cerebrais e terminações do nervo trigêmio de pessoas com enxaqueca.

Essa medicação ja foi aprovada tanto nos EUA quanto na Europa e é o resultado de mais de 30 anos de estudos nos mecanismos causadores da enxaqueca iniciados pelos Drs. Lars Edvinsson (Lund University - Suécia ) e Peter J Goadsby (Austrália, atualmente no King's College London - Inglaterra).

É um marco no tratamento dessa doença neurológica que afeta 1 bilhão de pessoas no mundo, 30 milhões no Brasil, assim como na compreensão dos seus mecanismos fisiopatológicos. A SBCe recebe a notícia com entusiasmo e cautela, visto que ainda há muitas etapas até comercialização e acesso, dado o custo alto previsto.

É importante salientar para os profissionais e os pacientes que as medicações comumente utilizadas para o tratamento preventivo da enxaqueca (topiramato, ácido valproico, amitriptilina, propranolol, toxina botulínica, etc.) continuarão sendo muito úteis. Vemos a chegada desta nova classe medicamentosa como mais uma boa ferramenta em nosso arsenal terapêutico contra a enxaqueca.