sbce.med.br sbce.med.br sbce.med.br



HOME > artigo

TIPOS DE DORES DE CABEÇA

PUBLICADO EM 19/10/2017

Bruno B Esmanhotto

Neurologista

Membro titular da ABN e SBCe

Mestre em Medicina Interna (UFPR)

Professor da Escola de Medicina PUC-PR e FPP

 

INTRODUÇÃO

 

Poucas pessoas sabem, mas existem mais de 150 tipos de dor de cabeça (cefaleia). As dores de cabeça primárias, são aquelas que própria dor é a doença, podem ser muito debilitantes, embora a maioria delas não ofereça nenhum risco à vida dos portadores. Os tipos mais comuns são: enxaqueca, cefaleia do tipo tensional, cefaleia em salvas e cefaleia crônica diária. Porém as dores de cabeça secundárias são causadas por outras doenças, sendo as mais comuns: acidente vascular cerebral, tumores de sistema nervoso central, trombose venosa cerebral, ruptura de aneurisma, aumento da pressão intracraniana.

 

DORES DE CABEÇA PRIMÁRIAS

 

Enxaqueca é uma dor pulsátil, de forte intensidade, podendo ser acompanhada de náuseas e vômitos ou intolerância à luz ou ao som. Geralmente unilateral (mas pode ser bilateral) e as crises podem durar de 4 a 72 horas.

Cefaleia do tipo Tensional é o tipo mais frequente no mundo, caracterizada por dor bilateral ou na parte da frente ou atrás da cabeça, de moderada intensidade, que não piora com esforço, dura de 30 min até 7 dias.

Cefaleia em Salvas é um tipo de dor intensa, unilateral, durando de 15 minutos a 3 horas, geralmente as crises ocorrem no mesmo horário (maioria de madrugada) por vários dias seguidos. A dor é acompanhada de lacrimejamento e corrimento nasal no mesmo lado da dor.

Cefaleia Crônica Diária é uma situação que caracteriza por dores de cabeça em pelo menos 15 dias ao mês. Ela é uma evolução das outras formas de dor de cabeça, que aumentam de frequência gradativamente por uso exagerado de analgésicos para dor.

 

DORES DE CABEÇA SECUNDÁRIAS

 

As dores de cabeça que merecem uma investigação, são aquelas onde a dor de cabeça é a manifestação de alguma doença. Essas são as dores de cabeça secundárias, que têm causas variadas. As mais comuns são: ruptura de aneurisma intracraniano, pós-trauma de crânio, trombose venosa cerebral, infeção do sistema nervoso e tumores cerebrais

Hemorragia intracraniana é o sangramento originário por ruptura de aneurisma das artérias cerebrais. Os aneurismas são dilatações das artérias que estão presentes, dede o nascimento, em cerca de 2% da população. Entretanto a ruptura é pouco frequente, porém muito grave, com grande risco de morte. A dor da ruptura do aneurisma é referida como “a dor mais forte da vida” que aparece de forma súbita e, muitas vezes é a única manifestação da doença. Além da dor pode cursar com náuseas, vômitos, crises convulsivas ou coma. O diagnóstico pode ser feito através da tomografia de crânio sem contraste e, eventualmente, punção lombar (retirada de líquido da coluna). O tratamento pode ser cirúrgico ou endovascular (por cateterismo). Fumantes e hipertensos sem tratamento têm risco maior de ter ruptura de aneurisma.

Dor de cabeça pós-trauma cranioencefálico é uma causa muito comum de dor de cabeça. É definida por um dor que ocorre em estreita ligação temporal com traumatismo ou lesões na cabeça ou pescoço. Não existe uma causa definida a cerca do mecanismo da dor, mas sabe-se que ocorre com maior frequência no sexo feminino, pessoas que já tinham dor de cabeça antes do trauma e pessoas com doença psiquiátrica prévia. Este tipo de dor pode persistir por alguns meses até vários anos. Tratamento pode ser com medicamentos e não-medicamentoso (terapias)

Trombose Venosa Cerebral é uma causa de dor de cabeça de início gradual (eventualmente pode ser de início súbito), de intensidade variável, ocasionada pelo fechamento de alguma veia do sistema nervoso central. A dor pode estar acompanhada de borramento visual e náuseas. Pode ser grave dependendo do calibre e localização da veia afetada. Diagnóstico se confirma pela tomografia de crânio contrastada ou angioressonância de crânio. Existe uma maior chance de acometer fumantes e usuárias de pílulas anticoncepcionais.

Infecções de sistema nervoso mais comuns são as meningites e meningoencefalites. São dores que podem ser de início súbito ou evoluir poucas horas, de forte intensidade, associados a intolerância à luz ou barulhos, náuseas e vômitos, febre, crise convulsiva, podendo levar ao coma. Podem ser causadas por bactérias (mais graves) ou vírus (menos graves).  Para confirmar o diagnóstico há necessidade de realizar a punção lombar. O tratamento é feito com medicamentos endovenosos com o paciente internado, e dever ser iniciado o mais breve possível para evitar sequelas.

Tumores cerebrais são causa pouco frequente de dor de cabeça, embora sejam as causas mais temidas pelos pacientes que procuram atendimento. Eles levam a um aumento gradual na pressão intracraniana. O tumor pode ser do próprio cérebro ou metástase de tumores de outros órgãos (mama, pulmão, cólon). Dependendo do tipo e a localização do tumor, ele poderá causar dor no início do quadro ou em fase terminal da doença. Habitualmente é uma dor que evolui gradualmente em dias a meses, podendo estar acompanhada de borramento visual, náuseas, alteração comportamental, crises convulsivas e perda de força em metade do corpo. O diagnóstico é feito por ressonância de crânio e eventualmente por biópsia do local. O tratamento pode ser cirúrgico, quimioterapia ou radioterapia dependendo do tipo do tumor.